Pra que brigar? Yelp e Grubhub se unem no delivery de comida

O Yelp — a companhia mais conhecida por seu aplicativo que permite aos consumidores avaliar restaurantes, hoteis e outros estabelecimentos — acaba de vender seu serviço de delivery de comida, o Eat24, para seu maior concorrente: o Grubhub, a maior empresa de delivery de comida online dos EUA.

O preço foi US$287,5 milhões, mais que o dobro do que o Yelp pagou pelo Eat24 em fevereiro de 2015.

Resultado: as ações do Yelp estão voando 19% nas negociações 'after hours' em Nova York. Já as ações do Grubhub caem mais de 5%; a companhia vale US$ 4 bilhões na Bolsa.

Junto com a venda, as duas empresas celebraram uma parceria estratégica que permitirá aos usuários do Yelp pedir comida de restaurantes afiliados ao Grubhub. Essa parceria vai quase dobrar o número de escolhas para os usuários do Yelp, de 40 mil para 75 mil restaurantes. (O cliente pode pedir delivery em casa ou fazer o pedido e passar no restaurante para pegar.)

O Grubhub pagou caro para aumentar sua escala. Na segunda-feira, já tinha feito um acordo comercial com o Groupon. Aquele acordo permite que os usuários do Groupon usem a plataforma do site para pedir delivery nos 55.000 restaurantes do Grubhub — e possam resgatar seus cupons no processo.

Do outro lado do Atlântico, a companhia mais comparável ao Grubhub em escala é a inglesa Just Eat, dona de 40% do iFood no Brasil.

Uma curiosidade: quando ainda era uma startup (antes de ser comprado pelo Yelp), o Eat24 ficou famoso nos EUA por anunciar em sites pornôs. Como os grandes anunciantes jamais ousariam colar suas marcas ao conteúdo 'X-rated', o custo por clique sai quase de graça. (Cerca de 30% do tráfego da internet se dá em sites pornôs.)

SAIBA MAIS

Comida online: Testando modelo, Nestlé compra um pedaço da Freshly

IPO da Blue Apron testa modelos de negócio de delivery