A Petz precificou seu follow-on a R$ 19 por ação e levantou R$ 779 milhões. A oferta saiu com desconto de 2,8% em relação ao fechamento de hoje (R$ 19,55). 

O dinheiro vai todo para o caixa da empresa, que vai usar os recursos para acelerar a abertura de lojas e hospitais (65%); desenvolver sua plataforma digital e a logística (15%) e M&As (20%).

A demanda foi de quatro vezes o tamanho da oferta, e cerca de 45% dos papéis ficaram com investidores internacionais. 

A adesão à oferta prioritária foi superior a 50%. Investidores como GIC, Atmos e Truxt acompanharam a oferta e compraram mais no book. A operação não previa a colocação de lotes adicional ou suplementar. 

Os coordenadores foram Itaú BBA (líder), Bank of America, Bradesco BBI, BTG Pactual, Morgan Stanley, Santander e XP.

Nas conversas com investidores, a Petz disse que trabalha com um horizonte mínimo de dois anos para utilizar os recursos — a empresa prevê um período de volatilidade macroeconômica por conta do cenário de alta dos juros e da eleição presidencial de 2022.

O negócio tem se mostrado resiliente — cerca de 80% do que a Petz vende é ração, medicamentos e higiene e beleza, itens essenciais para o seu ‘melhor amigo’ ou para aquele gato que te olha julgando.

A Petz planeja abrir 50 lojas ano que vem, o que significa que vai acelerar a sua expansão já que, no IPO em setembro de 2020, a empresa falava em abrir 30-40 lojas em 2022. 

O setor de pets vem crescendo no Brasil nos últimos anos, sempre acima do varejo e do PIB. Em 2020, enquanto o PIB caiu 4,1% e o varejo encolheu 3,9%, o segmento de pets cresceu 17,8%.

A empresa não teve dificuldades para atrair investidores na oferta — nas palavras de um gestor, basicamente porque a Petz está entregando no operacional.

Desde o IPO, o CEO Sergio Zimerman já abriu 43 lojas, com um total hoje de 153. No segmento da saúde animal, em que atua com a marca Seres, passou de 7 para 12 hospitais e de 99 para 127 centros veterinários.  E fez três aquisições transformacionais:  Zee.Dog (acessórios e inovação), Cansei de ser Gato (plataforma de conteúdo e produtos para os felinos) e Cão Cidadão (adestramento). 

A penetração digital da empresa passou de 25,8% para 31% e o omnichannel ratio saiu de 76,2% para 87,2%.