A Zee.Dog, que reinventou o mercado de acessórios pet, está comprando a Eleven Chimps, a maior fabricante de comida natural (‘human grade’) para animais domésticos — comida para cachorro, e não comida de cachorro.

A aquisição marca o início da Zee.Dog Kitchen, uma nova vertical de negócios com foco em vendas online no modelo de assinatura, 

Pedro Vital Brasil, o fundador da Eleven, passa a ser sócio da Zee.Dog e vai liderar a Zee.Dog Kitchen, que deve ser lançada em agosto.

A compra está sendo paga em dinheiro e ações. 

A aquisição fornece à Zee.Dog um atalho em seu desenvolvimento de produto — já que ela leva o know-how, a fábrica em Americana, o P&D e o selo de exportação da Eleven — mas a companhia dos irmãos Thadeu e Felipe Diz vai reformular completamente o produto, o modelo de negócios e a distribuição.

O mercado pet brasileiro é de R$ 50 bilhões/ano:  60% disso é comida, mas a comida natural ainda é uma parte muito pequena porque até agora nenhum player conseguiu uma oferta de produto/preço/marketing que fizesse a subcategoria ganhar escala.

Aproveitando o câmbio baixo, a Zee.Dog vai fabricar o produto no Brasil e vender nos EUA — tanto online quanto fechando acordos com os grandes varejistas pet.  A companhia estima que conseguirá vender de 30% a 40% mais barato que os players domésticos nos EUA.

O benchmark é a Freshpet, que domina o mercado de comida natural pet nos EUA e vale US$ 7 bi na Nasdaq. Para efeito de comparação, a maior companhia brasileira do ramo, a Petz, vale R$ 8 bi.

A Zee.Dog Kitchen é a terceira vertical de crescimento da Zee.Dog.  

Há dois anos, a companhia lançou o Zee.Now, um app de delivery que já opera em nove cidades e espera chegar a 20 ainda este ano.  

A companhia também está investindo em mercados fora do Brasil, que já respondem por 40% do faturamento.  A Zee.Dog acaba de abrir um galpão na Holanda e vai começar a ‘localizar’ sua operação na Europa ainda este ano: cada país terá um site da Zee.Dog em sua língua e moedas locais.

A Zee.Dog teve faturamento de R$ 125 milhões ano passado e estima vender R$ 250 milhões este ano.

A aquisição — que depende de aprovação do CADE — vem meses depois que a Zee.Dog levantou R$ 100 milhões numa rodada com investidores privados em meados do ano passado.

A rodada foi liderada pela TreeCorp Investimentos, uma boutique de private equity, e incluiu ainda os sócios da Atmos Capital; o Quartz, family office de José Galló; e o Charles River Capital, uma gestora de ações do Rio.