A Petrobras anunciou agora à noite um dividendo complementar substancialmente acima do esperado pelo mercado. 

A empresa vai pagar mais R$ 2,86 por ação PN e ON, elevando a remuneração total de 2021 para R$ 7,77 por ação. 

Com a Petrobras PN negociando ao redor de R$ 34, o pagamento de hoje equivale a um dividend yield de 8,4%. “Se viesse entre 5% e 7%, já íamos achar muito bom,” disse um gestor comprado no papel. 

Considerando-se o valor de mercado médio da Petrobras e as distribuições feitas ao longo de 2021, um analista estima que o dividend yield ficou perto de 33% para o ano fechado. Considerando a fotografia da ação em 31 de dezembro, o yield ficou em 27%.

O petróleo teve um preço médio de US$ 71/barril ao longo do ano.

“Olhando pro cenário de curto prazo, se o petróleo ficar nesse patamar, a companhia pode entregar um dividend yield de cerca de 40% em 2022,” disse um analista do buyside.

A Petrobras disse que o dividendo está alinhado à sua política de remuneração aos acionistas, que prevê que no caso de endividamento bruto inferior a US$ 65 bilhões, a empresa poderá distribuir 60% da diferença entre o fluxo de caixa operacional e as  aquisições de ativos imobilizados e intangíveis  (investimentos).

A dívida bruta da empresa ficou em US$ 58,7 bilhões em 2021.

Os dividendos complementares serão pagos em 6 de maio, e a data de corte é 13 de abril.