Laurene Powell Jobs comprou a revista The Atlantic, numa transação que o The Wall Street Journal resumiu como ‘mais um bilionário investindo em jornalismo’.

A viúva de Steve Jobs — que no ano passado vendeu metade de suas ações da Disney — fez a aquisição por meio da Emerson Collective, sua organização filantrópica.
 
Os termos da transação não foram divulgados, mas o pacote de ativos inclui não apenas a revista e seu website, mas também um negócio de eventos e outro de consultoria. A Atlantic Media, que edita a Atlantic, também publica o National Journal e o site Quartz, mas esses veículos não entraram no negócio.
 
A lista de bilionários que compraram ativos de mídia nos últimos anos inclui Jeff Bezos, que comprou o The Washington Post em 2013; Chris Hughes, um co-fundador do Facebook que comprou a New Republic em 2012; e o fundador da EBay, Pierre Omidyar, que criou a First Look Media, que publica o site The Intercept. (Warren Buffett também comprou o jornal Omaha World-Herald, mas o fez por meio da Berkshire.)
 
No Brasil, no ano passado, o grupo RBS vendeu suas operações em Santa Catarina aos empresários Lírio Parisotto e Carlos Sanchez, controlador da empresa farmacêutica EMS.  Parisotto deixou a sociedade meses depois.
 
Mas ao contrário do que possa parecer, a compra da Atlantic não foi uma operação de resgate como a do Post, e sim uma questão sucessória. David Bradley, o controlador da Atlantic Media, decidiu vender a revista porque seus filhos não têm interesse no negócio.  Ele vai manter uma participação minoritária na revista pelos próximos três ou cincos anos.  
 
Bradley, que comprou a Atlantic de outro bilionário, Mortimer Zuckerman, por US$ 10 milhões em 1999, fez a transição da Atlantic de ‘paper-only‘ para um veículo multiplataforma. Em 2006, 85% do faturamento da Atlantic vinham da publicidade impressa e circulação. Este ano, a edição impressa representará menos de 20% do faturamento, enquanto o site, os eventos e o negócio de consultoria responderão por 80%. Na última década, a receita anual da Atlantic quadruplicou, e hoje beira os US $ 80 milhões.
 
 
Fundada em Boston por um grupo de escritores em 1857, a Atlantic — hoje sediada em Washington — começou como uma revista literária e cultural, e é conhecida por posições políticas liberais.  Seu grupo de fundadores incluía autores de renome como Ralph Waldo Emerson e Oliver Wendell Holmes, e ao longo de décadas a revista serviu de trampolim para novos autores e poetas promissores.  No início do século, a Atlantic foi transformada numa revista de assuntos gerais, com foco em política doméstica e internacional, economia e cultura.
 
Segundo a própria revista, seu site tem cerca de 33 milhões de visitantes únicos/mês e toda a operação gera um lucro anual ‘bem acima’ de US$ 10 milhões.  Dados auditados mostram que a circulação total (que inclui print e online) subiu de 467 mil em 2011 para 505 mil em 2016.