O Inter retomou os planos de migrar para a Nasdaq, quatro meses depois que os investidores inviabilizaram o plano com uma adesão ao direito de retirada acima do previsto.

As units do banco reagiram com uma alta de 5,5%, cotadas a R$ 17,40 no meio da tarde. 

A proposta continua sendo migrar as ações do Inter para a Inter Holding, que depois será incorporada pela Inter & Co (a nova denominação da Inter Platform), a empresa com sede em Cayman que será listada nos EUA. 

Como da outra vez, os acionistas poderão escolher entre receber BDRs ou ações resgatáveis em dinheiro (cashout).

No fim do ano passado, o Inter teve de cancelar a operação porque ofereceu um cashout a R$ 45,84 por unit – um preço substancialmente acima do preço de tela.  Como a demanda dos investidores superou o montante máximo de R$ 2 bilhões permitido, a operação foi cancelada. 

Agora, o Inter alterou essa condição. 

O cashout está limitado a R$ 1,1 bilhão – 10% do free float atual. Mas dessa vez, se a demanda superar esse valor, a oferta não será cancelada: haverá um rateio entre os investidores que escolherem essa opção, que vão receber parte em dinheiro, parte em BDRs. 

O cashout foi redefinido em R$ 38,70 para cada 6 ações do Inter, o que equivale a R$ 19,35 por unit (cada unit é formada por 1 ação ON e 2 PNs). 

O valor embute um prêmio de 17% sobre o fechamento de sexta-feira, quando a nova operação foi anunciada. 

Além disso, o Inter definiu que somente os acionistas que tinham as ações em 15 de abril serão elegíveis para o cashout

Para o analista de uma gestora comprada no Inter, as novas condições favorecem o andamento do processo. 

“Na primeira proposta havia um cashout com preço definido, mas a data de corte era lá na frente. Assim, se o preço caísse, o acionista tinha incentivo para pedir o cashout… e foi o que aconteceu”, ele disse. Nesse novo formato, o Inter está evitando esses arbitradores, porque a data de corte já passou. 

O Inter não divulgou um cronograma para a operação, que precisa ser aprovada em assembleia. 

Ao final do processo, o banco terá duas classes de ações: a Classe B, que dará direito a 10 votos e ficará com os controladores; e a Classe A, que terá direito a 1 voto e ficará com os demais acionistas.