A Intelbras – mais conhecida por seus interfones, telefones e sistemas de segurança – está comprando a Renovigi, a maior fabricante de sistemas fotovoltaicos no Brasil, dobrando sua aposta no mercado de energia solar. 

Esta é a maior aquisição da história da Intelbras desde que ela foi fundada há 46 anos em Santa Catarina. A empresa fez seu IPO na B3 há um ano. 

A Intelbras vai pagar R$ 334 milhões pela Renovigi, e o acordo prevê um earnout de 15% (R$ 50 milhões) condicionado a metas de EBITDA.  

Nos cálculos do BTG Pactual, a Intelbras está pagando 8,7x o EBITDA 2021, um múltiplo que os analistas consideram altamente accretive.  A Intelbras está sendo negociada a 25x EBITDA 2021 e 20x EBITDA 2022.

A aquisição traz ganhos de escala, capacidade de distribuição complementar e ganhos nas negociações com fornecedores e prioridade na importação de insumos.

A aquisição também significa que a Intelbras está tirando do mercado uma concorrente. (A líder no segmento, ainda muito fragmentado, é a Aldo Solar, que foi adquirida pela Brookfield no ano passado.

Fundada em Chapecó há dez anos, a Renovigi teve receita líquida de R$ 800 milhões e EBITDA de R$ 50 milhões em 2021. A empresa tem uma rede de 9 mil revendedores com capilaridade nacional. Já a Intelbras tem 80 mil revendedores atuando em suas três linhas de negócios.  
 
O CEO Altair Silvestri e a família Savi de Freitas, que controla a companhia, decidiram entrar em energia solar há dois anos, tentando capturar o crescimento exponencial do segmento.
 
Com a compra da Renovigi, a participação da energia solar nas receitas da Intelbras pode se aproximar de 40%, nas contas de um gestor. Sem a aquisição, a empresa tinha a expectativa de que esse percentual ficasse em 27% em 2022. 
 
Para gestores, a Intelbras vai se beneficiar com a rede de revendedores especializados da Renovigi e também aumentar o cross sell de produtos. 
 
A ação da Intelbras dobrou de preço desde o IPO. Hoje, o papel opera em alta de 3,2%, cotado a R$ 32,50 no meio da tarde. 
 
A ação sobe mais de 15% desde o início do ano e negocia a 22,6x o lucro para 2022.  A companhia vale R$ 10,6 bilhões na B3.
 
Alguns gestores acham que a ação está “cara”, mas um deles pondera que a empresa vem executando com perfeição desde que chegou à Bolsa. A Intelbras tem crescido a taxas de 20% ao ano, com ROIC entre 30% e 40%. 

Em seu primeiro ano como companhia aberta, a Intelbras já havia anunciado só uma outra aquisição, de menor porte, em abril do ano passado, quando pagou R$ 89 milhões por 75% da Khomp, que desenvolve hardware e software para telefonia, controle de acesso e Internet das Coisas (IoT).