Mansueto Almeida se tornará sócio e economista-chefe do BTG Pactual depois que sua quarentena acabar, em meados de janeiro, pessoas a par do assunto disseram ao Brazil Journal.

A disputa pelo passe do ex-Secretário do Tesouro envolveu ofertas de diversos bancos locais e internacionais, e o martelo foi batido sábado de manhã.

No BTG, Mansueto vai encontrar dois amigos economistas:  Eduardo Guardia, com quem trabalhou no Ministério da Fazenda do Governo Temer, e Eduardo Loyo, ex-diretor do BC.

Será a primeira vez que Mansueto, um funcionário de carreira do IPEA que ganhou notoriedade por seu profundo conhecimento das contas públicas, trabalha numa instituição financeira.  Depois de deixar o IPEA e antes de ir para o Governo, em 2016, Mansueto trabalhou como consultor para instituições locais e investidores internacionais.

Respeitado por sua capacidade de comunicação didática, amplo trânsito no Congresso e postura construtiva, Mansueto concordou em ficar no Tesouro para facilitar a transição do Governo Temer para Bolsonaro.

O Ministro Paulo Guedes costuma demonstrar gratidão publicamente à contribuição dada pelo ex-Secretário, que ajudou a costurar o Teto dos Gastos, a reforma da Previdência e a renegociação da dívida dos Estados — duas vezes. 

A contratação reforça a franquia de wealth management e institutional sales do BTG e sua capacidade de montar posições de tesouraria com base em uma visão macro sofisticada — ainda que o maior prop trader do banco seja o próprio André Esteves.