Jack Crawford Taylor, o fundador da Enterprise Rent-A-Car, a maior companhia de aluguel de carros do mundo, morreu no sábado aos 94 anos.
 
A Bloomberg lembrou que Taylor ficou conhecido pela frase: “If you take care of your customers and employees, the bottom line will take care of itself.”  (“Se você cuidar de seus clientes e funcionários, o lucro cuidará de si mesmo.”) 
 
Taylor batizou sua empresa com o nome do porta-aviões do qual ele decolava quando pilotou na Segunda Guerra.  Apesar de seu pai ter sido um corretor de valores, Taylor nunca se convenceu a listar a Enterprise na Bolsa.
 
Em 2007, a Enterprise consolidou sua liderança ao comprar o Vanguard Automotive Group, dono das franquias National Car Rental e Alamo Rent a Car.  A compra colocou a Enterprise à frente da Hertz e da Avis.
 
No ano passado, a Enterprise faturou 19,4 bilhões de dólares, o que faz dela a décima-sexta maior companhia americana (contando apenas as não listadas em Bolsa). A empresa é conhecida por liderar o ranking de satisfação dos clientes no setor, e muitos de seus movimentos já foram copiados por concorrentes.
 
Ao voltar da guerra, Taylor comprou um caminhão usado e começou a fazer fretes para lojas em St. Louis, sua cidade natal. “Fui a todas as lojas em Clayton [subúrbio de St. Louis] e disse, ‘em vez de vocês entregarem seus pacotes, eu faço isso pra vocês’.  Acho que eu cobrava 25 centavos por pacote,” Taylor rememorou numa entrevista em 2007.  Ele fechou a empresa dois anos depois: tinha três caminhões e dois funcionários.
 
Em seguida, o dono da concessionária Cadillac em St Louis insistiu para que Taylor fosse trabalhar com ele.  Começou vendendo carros usados, passou para os carros novos e chegou a gerente de vendas.  Começou a sonhar em ser dono de sua própria concessionária, mas sabia que as montadoras só permitiam uma revenda por dono.  O negócio de leasing, que havia nascido alguns anos antes, parecia mais promissor.
 
“Eu pensei: se eu entrar no negócio de leasing, posso estar em várias cidades com quantas lojas quiser. Não vou ter que carregar estoque de peças, não vou ter que carregar estoque de carros, e vou poder fazer leasing de todas as marcas. Então eu vi que isso me dava uma oportunidade muito mais ampla do que ser apenas um revendedor,” disse Taylor na entrevista.
 
Era 1957 quando Taylor fundou a Executive Leasing Co. no porão da concessionária Cadillac onde trabalhava.  A empresa começaria a trabalhar com aluguel de carros apenas em 1962. Como os concorrentes focavam em lojas nos aeroportos, Taylor resolveu abrir lojas de vizinhança e oferecer leasing para quem estava com o carro na oficina. A companhia só passou a se chamar Enterprise em 1969.
 
Há três anos, a Enterprise começou a ser pressionada por seus clientes corporativos, que queriam uma empresa com presença global.  Enquanto a Avis operava em 175 países, a Hertz estava em 150 e a Enterprise, em apenas 40. No final de 2012, a empresa fez seu primeiro contrato de franquia, para se expandir na Europa.
 
“Até alguns anos atrás, a gente achava a ideia de fraquinas absolutamente repugnante”, Andy Taylor, filho de Jack e CEO da Enterprise até 2013, disse à Bloomberg naquele ano. “Queremos controlar a experiência do consumidor. Queremos nossos funcionários cuidando dos nossos clientes. Mas estamos aprendendo que, se vamos ser uma marca global, e se precisamos ser competitivos no futuro, teremos que fazer as coisas de uma forma diferente. “
 
Agora chairman da empresa, Andy Taylor parece entender o desafio da expansão internacional:  “Não é uma questão de capital, é uma questão de conhecer o mercado.  Se você vai entrar na Polônia ou Finlândia ou no Brasil, você precisa de um time local que entenda as regras.”