A ClearSale, cujo software ajuda empresas de ecommerce e fintechs a evitar a fraude online, acaba de precificar seu IPO no topo da faixa indicativa de preço — mais uma demonstração da demanda cavalar do mercado por negócios de software as a service (SaaS).

A ação saiu a R$ 25 — o extremo norte de uma faixa que começava em R$ 20 — dando à ClearSale um valor de mercado de R$ 4,7 bilhões em sua estreia na Bolsa. A empresa saiu a 10x a receita estimada para este ano.

Quatro gestoras — Equitas, Squadra, Tork e JGP — ancoraram a oferta, que foi 20x oversubscribed. O book atraiu mais de 40 investidores internacionais, incluindo fundos soberanos asiáticos.

A oferta levantou R$ 700 milhões para financiar o plano de crescimento da companhia.  Uma tranche secundária de R$ 600 milhões foi feita em parte para atingir o free float de 25% do Novo Mercado.

A ClearSale foi fundada quando Pedro Paulo Chiamulera — o corredor de 110 e 400 metros com barreiras que representou o Brasil nas Olimpíadas de Barcelona e Atlanta — contemplou a vida depois da aposentadoria, aos tenros 33 anos.

O caçula de 10 irmãos, Pedro havia cursado ciência da computação e se aliou a Bernardo Lustosa, um estatístico com PhD em administração de empresas, para montar uma solução antifraude para um então jovem ecommerce chamado Submarino.

Hoje, a empresa tem como clientes 9 entre as 10 maiores operações de ecommerce do País — a grande exceção é o MercadoLivre.

A ClearSale usa seu imenso data lake — CPFs, celulares, localização e outros registros digitais — para aprovar transações conhecidas como “CARD NOT PRESENT,” aquelas em que o consumidor precisa digitar o cartão.

Mais recentemente, a empresa começou a diversificar sua receita atendendo um outro nicho de mercado: bancos digitais e outras fintechs, que usam sua tecnologia antifraude no processo de onboarding de clientes. Esse negócio já representa cerca de 25% do faturamento.

A ClearSale é parecida com a Riskified, uma companhia israelense que está na reta final de seu processo de IPO em Nova York. Na ausência de um comparável direto, os investidores olharam múltiplos de SaaS de empresas listadas na B3 e lá fora, como Locaweb, Infracommerce e VTEX.

A Innova Capital, de Veronica Serra, tinha 28% da companhia antes do IPO e foi diluída para cerca de 17%.

Os coordenadores foram Itaú BBA, Bank of America, BTG e Santander.

 

RECORDAR É VIVER

Pedro Chiamulera na Olimpíada de Atlanta