Alexandre Santoro, que comandava a operação global da Popeyes Louisiana Kitchen, será o novo CEO da IMC, uma troca de guarda num momento em que a dona do Frango Assado e do Pizza Hut se prepara para a reabertura da economia.

Santoro substituirá Newton Maia, que está há quatro anos no comando, a partir de 1 de abril. O atual CEO continuará na IMC por mais um mês para facilitar a transição.

A troca é a primeira mudança relevante na companhia depois que a UV Gestora e a Faro Capital compraram 23% da IMC ao longo dos últimos meses. O conselho aprovou o nome de Santoro por consenso.

A Faro Capital pertence a Lucas Rodas, genro de Carlos Alberto Sicupira. Santoro é o segundo nome associado à 3G Capital que vai para a IMC:  em janeiro, Luiz Fernando Edmond, ex-CEO da Ambev e ex-head da América do Norte na Anheuser-Busch Inbev, ganhou um assento no board.

Santoro trabalhou cinco dos últimos seis anos na Restaurant Brands International (RBI), a holding do Burger King, Tim Hortons e Popeyes, onde começou como chief supply chain & operations officer.

Quando a RBI comprou a rede de frango frito, Santoro tornou-se CEO e liderou a expansão global da marca até 2019, quando deixou a companhia para se tornar o chief commercial officer da XPO Logistics, uma operadora logística americana. 

O executivo também teve passagens pela Ambev e ALL, onde trabalhou 13 anos.

Segundo uma pessoa que conhece o executivo, o histórico de Santoro favorece um maior foco da companhia em excelência operacional e experiência do consumidor — particularmente num momento em que a pandemia transformou a multicanalidade numa questão de sobrevivência. 

Depois de um aumento de capital em julho que colocou R$ 384 milhões no caixa, a IMC está com uma estrutura de capital confortável. A alavancagem está em apenas 1x EBITDA e o caixa bruto, em mais de R$ 500 milhões. 

Na sexta-feira, a IMC valia R$ 987 milhões na Bolsa.