O UOL Edtech acaba de comprar a Skore — uma plataforma de educação corporativa que atende clientes como Inter e XP — numa transação que fortalece sua presença neste segmento e abre caminho para a empresa crescer em PMEs. 

A companhia não revelou nem o valor da aquisição nem o valuation.

Fundada em 2014, a Skore atende cerca de 60 empresas num modelo de educação corporativa conhecido como Learning Experience Platform (LXP), no qual o aluno tem mais poder de decisão sobre sua jornada de aprendizagem.

A transação dá saída a sete fundos que haviam investido na Skore nos últimos anos — Astella, Invest Tech, Alexia, Redpoint, Wayra, Barn e Bossanova — além de alguns investidores-anjo. 

Os dois fundadores — Luis Novo e Ricardo Katayama — também venderam suas participações mas vão continuar na UOL Edtech como executivos e poderão participar de um evento de liquidez da companhia, como o IPO. 

O anúncio de hoje vem seis meses depois da UOL Edtech comprar a Passei Direto, adicionando uma vertical B2C ao seu negócio. 

A UOL Edtech agora opera em três frentes: o B2C (com a Passei Direto); a educação corporativa (com a Skore e a Atena, sua plataforma proprietária); e o chamado online program management (OPM), no qual a empresa fecha parceria com instituições de ensino como a FIA e a PUC-RS num modelo de revenue share. (A instituição cuida da parte pedagógica; o UOL Edtech opera toda a parte digital.) 

O OPM responde por 50% da receita; e o restante é dividido meio a meio entre a educação corporativa e o B2C. 

Apesar de não ser a maior em receita, a educação corporativa é o negócio com a maior margem EBITDA dentro da empresa — 55% em comparação à margem consolidada de 40% — e o plano é continuar crescendo essa vertical inclusive com novos M&As.  

Com a compra da Skore, a UOL Edtech pretende redesenhar sua plataforma de educação corporativa, adaptando a experiência para um modelo mais aderente às demandas das empresas. 

Hoje, a plataforma da edtech opera no modelo de Learning Management System (LMS), em que os programas de formação são pré-formatados pelo RH das empresas e o funcionário não apita na montagem de sua trilha de aprendizagem.

O plano é mesclar o modelo atual com o da Skore (o LXP), que permite que o usuário defina sua jornada com uma UX que se assemelha ao de uma rede social. 

“O modelo deles é menos pré-formatado, e o aluno pode escolher conhecimentos para seguir, e criar suas trilhas de desenvolvimento,” o CEO Alex Augusto disse ao Brazil Journal. “Nossa ideia é fundir as duas plataformas e criar algo novo no mercado com as melhores features das duas soluções.”

A aquisição da Skore também abre espaço para o crescimento da empresa entre as PMEs, um nicho que ainda é pouco representativo na carteira de 450 clientes da UOL Edtech em educação corporativa.

A Skore já tem uma presença maior em PMEs, porque a solução LXP é mais aderente a esse público. “As PMEs precisam de menos controle e gestão do RH e de mais experiência e engajamento dos funcionários,” disse Alex.

Na vertical de educação corporativa, a UOL Edtech opera com um modelo SaaS: as empresas pagam um valor para usar a plataforma que varia de acordo com o número de funcionários que terão acesso. 

A UOL Edtech é líder nesse mercado, e tinha a Skore como sua principal concorrente. Recentemente, a americana Degreed entrou no Brasil e tem uma carteira de cerca de 50 clientes. 

A tese de Alex é fortalecer o ecossistema da UOL Edtech e continuar crescendo num ritmo de 60% ao ano, o que prepararia a empresa para um eventual IPO.  

Segundo ele, um dos grandes diferenciais da startup é que ela está presente em toda a jornada dos alunos: começando no ensino acadêmico com a Passei Direto, passando pela formação profissional quando a pessoa consegue um emprego, e chegando à pós-graduação, com suas parcerias com instituições de ensino.

No ano que vem, a companhia vai entrar também na graduação e começar um movimento de internacionalização do negócio.