A Natura disse que seu conselho autorizou o início de estudos para a migração de sua listagem primária para a NYSE, com a manutenção de BDRs na B3.  

A empresa disse ter orgulho da sua herança e origem brasileira, mas que agora mais de 70% de sua receita vem de fora do Brasil, após as aquisições do Aesop (2013), The Body Shop (2017) e Avon (2020) e o crescimento orgânico na América Latina. 

Para viabilizar a migração, a Natura estuda criar uma nova holding, com sede no Reino Unido, onde o grupo já tem presença relevante e onde a BodyShop e a Avon estão sediadas. A Natura Cosméticos vai continuar a ser sediada e domiciliada no Brasil e a Aesop na Austrália.

A Natura pretende manter a estrutura de uma ação, um voto.

A potencial reorganização societária, com a mudança de listagem, seria uma nova etapa do planejamento estratégico do grupo para continuar a acessar investidores globais, expandir a cobertura de analistas, melhorar a liquidez das ações e acessar novas fontes de financiamento e melhor alinhar sua estrutura corporativa e de capital à presença operacional global.