A Multilaser teve que fazer promoções agressivas para girar seu produto no quarto tri, uma estratégia que fez sua margem colapsar em meio a um ambiente macro desafiador para bens de consumo.
 
A margem bruta caiu 11,7 pontos percentuais e ficou em 21% no quarto tri; e a margem EBITDA recuou 9,7 pontos para 12,2%. 
 
A fabricantes de produtos, como notebooks, smartphones, acessórios de informática e utensílios domésticos, viu sua receita subir 34% para R$ 1,26 bilhão em relação ao 4T20. 
 
O EBITDA recuou 25% para R$ 153,4 milhões no trimestre, e o lucro líquido caiu 7,4% para R$ 153,1 milhões.
 
Na primeira hora do pregão de hoje, a ação cai 8% para R$ 5,42.  A companhia vale R$ 4,4 bi na Bolsa.
 
O CEO Alexandre Ostrowiecki disse ao Brazil Journal que o resultado foi afetado pela base de comparação muito forte do 4T20, quando o negócio reagiu fortemente ao boom de consumo da pandemia, que favoreceu principalmente itens para o home office. 
 
“O cenário do 4T20 era de lojas desabastecidas, filas de pedidos no fabricante e pouca pressão de preço, mas no 4T21 aconteceu o contrário: a indústria produziu bastante, o varejo estava bem abastecido e isso gerou uma pressão de preços que comprimiu as margens de todo mundo. Nós fizemos muito mais promoções do que em 2020, e conseguimos realizar a meta de vendas, mas entregando margem.” 
 
O UBS disse que os resultados ficaram abaixo do esperado e o cenário macro está desafiando o ritmo de crescimento da empresa e pressionando a rentabilidade.

Os analistas Leonardo Olmos e André Salles notaram que todos os segmentos de produtos da empresa diminuíram o ritmo de crescimento, com exceção de itens para escritório e tecnologia.
 
No ano fechado de 2021 a Multilaser reportou alta de 70% na receita (para R$ 4,8 bi) e de 74% no lucro líquido (para R$ 775 milhões).  
 
A margem bruta recuou 6,5 pontos para 34,5%, e a margem EBITDA contraiu 2,4 pontos para 19,3%. 
 
Alexandre disse que o resultado “expressivo” no ano fechado refletiu o cenário momentâneo do favorecimento de consumo na pandemia, mas, como sinalizou o quarto trimestre, o momento atual é bem mais retraído. 
 
“Não podemos esperar esse nível de resultado nesse contexto atual,” disse o CEO. 
 
Segundo Alexandre, no primeiro tri de 2022 o quadro ainda está muito parecido com o do 4T21, com correção de estoques e de preços. 
 
“Os ciclos do varejo não são trimestrais, são de 6 a 9 meses. Estamos no meio de um ciclo mais retraído, o  que faz parte da dinâmica natural do varejo”, disse.
 
A empresa tem cerca de 6 mil SKUs e lança, em média, 5 novos produtos por dia. A Multilaser trabalha com marcas próprias e licenciadas e conta com mais de 30 mil clientes varejistas no país. 
 
A empresa tem um  complexo industrial na cidade de Extrema (MG), além de uma fábrica na Zona Franca de Manaus e um laboratório de engenharia na China.
 
Nos últimos meses, a Multilaser está investindo em aquisições em  mobilidade elétrica – a mais recente foi a Watts, que produz bicicletas, scooters e patinetes elétricos, e foi adquirida esta semana por R$ 10,5 milhões. 
 
Segundo Alexandre, o plano é desenvolver motos elétricas com custo relativamente próximo ao de uma moto de combustão, mas com uma economia dramática de combustível.