A Conta Simples está colocando os R$ 121 milhões que levantou em dezembro pra trabalhar. 

A fintech que oferece uma conta PJ e cartões corporativos para startups acaba de adquirir o Hackr Ads, um software que ajuda empresas a gerir seus anúncios no Facebook e Instagram com um algoritmo que otimiza as campanhas, sugerindo melhorias com base numa análise dos resultados.  

A lógica da transação é simples: a Conta Simples vai passar a oferecer a solução do Hackr Ads para sua base de mais de 63 mil clientes, cobrando um valor adicional pelo uso do serviço.

Ao mesmo tempo, ela terá acesso aos 41 mil clientes da startup, que poderão passar a usar também as soluções da Conta Simples. 

“Tem uma sinergia muito grande entre as duas empresas,” o fundador Rodrigo Tognini disse ao Brazil Journal. “Mais de 50% dos gastos dos cartões da Conta Simples vão para mídia.”

A aquisição será paga parte em dinheiro e parte em ações, com os fundadores do Hackr Ads Igor Gontijo e Phillip Ferreira tornando-se sócios e executivos da Conta Simples.

A maior parte da parcela em dinheiro foi para dar saída a um investidor estratégico que apostou no Hackr Ads há cerca de dois anos, mas os três fundadores também fizeram um pequeno cashout

Rodrigo disse que a ideia da Conta Simples é continuar agregando novas soluções na plataforma como forma de reter os clientes e atrair novos mas que a grande estratégia de monetização no médio/longo prazo será o bom e velho crédito. 

A Conta Simples cujos cartões são pré-pagos vai começar a oferecer crédito a seus clientes nos próximos meses, e o algoritmo vai se beneficiar dos dados que o Hackr Ads tem de seus clientes. 

“O modelo de crédito das empresas tradicionais negligencia dados da nova economia, entre eles os dados de marketing, como o ROI das campanhas,” disse o fundador. “Esses dados que o Hackr Ads tem – junto com os nossos dados transacionais – valem ouro.” 

Rodrigo disse que a Conta Simples tem olhado outros potenciais M&As, mas deve segurar as aquisições este ano dado o momento do mercado. 

“Por um lado, o timing é ótimo porque os valuations estão bem depreciados. Mas por outro precisamos ter dinheiro em caixa,” disse ele. “Decidimos alongar nossa perspectiva de queima de caixa.”

O FM/Derraik assessorou a Conta Simples.