A Ânima está investindo R$ 300 milhões para comprar a Unisul, numa transação estruturada em etapas que deve torná-la líder de mercado em Santa Catarina, com presença em sete das 11 maiores cidades do estado.
 
A transação também dobra o número de vagas de medicina da Ânima, uma métrica que o mercado financeiro tem olhado de perto para avaliar empresas de educação dado o sucesso do IPO da Afya.
 
Com 18.700 alunos, a Unisul é a segunda maior instituição de ensino superior de Santa Catarina, onde a Ânima já é dona da Unisociesc e tem cerca de 6.800 alunos.

A universidade oferece ensino presencial na cidade de Tubarão (onde fica sua sede) e na Grande Florianópolis, e terá uma receita líquida ajustada de R$ 220 milhões este ano.

A Unisul tem 287 vagas anuais autorizadas de Medicina e 1.300 alunos fazendo o curso.
 
Esta é a segunda aquisição do chairman Daniel Castanho e do CEO Marcelo Bueno este ano.  Em agosto, a companhia pagou R$ 150 milhões para entrar no Nordeste com a compra da UniAGES.
 
A operação com a Unisul foi estruturada de forma a aliviar as pressões de curto prazo da fundação que mantém a universidade.  
 
Além de pagar R$ 20 milhões agora como prêmio de uma opção para aquisição da mantença, a Ânima fará empréstimos escalonados de até R$ 93 milhões para ajudar a quitar dívidas da fundação e financiar o turnaround da universidade.
 
Os empréstimos — que serão abatidos dos R$ 300 milhões — serão garantidos pela marca, os imóveis e recebíveis, e a transação terá supervisionada pelo Ministério Público de Santa Catarina.
 
A transação será submetida ao CADE e após a aprovação a Unisul será gerida de forma compartilhada até o fim de 2020 por meio de um contrato de gestão entre a fundação e a Ânima, que no final de 2020 deverá exercer a opção de compra.
 
Desde 1974, o ensino superior em Santa Catarina é estruturado pela Associação Catarinense das Fundações Educacionais, conhecida pelo acrônimo ACAFE.
O Sistema ACAFE é quem planeja, articula e coordena ações de 18 universidades e centros universitários do estado.
 
Como a Unisul pertence ao sistema ACAFE, a estrutura jurídica e o modelo da transação poderão servir de referência para outras instituições do estado. Depois que sanar suas dívidas, a fundação que hoje controla a Unisul receberá aluguéis da Ânima.
 
“A beleza dessa transação é que ela vai ser boa para todas as partes,” Castanho disse ao Brazil Journal. “A Fundação, após as dívidas sanadas, deverá ser uma das mais ricas do estado, pois além dos imóveis e do colégio, vai receber aluguéis da Ânima. Os alunos se beneficiam porque a Unisul vai retomar seu crescimento e aumentar sua posição de destaque e qualidade; a Ânima se firma como o maior grupo educacional de Santa Catarina, e o governo passa a receber impostos que não são pagos hoje.”