A ArcelorMittal está negociando fundir suas operações nos EUA com a Cleveland-Cliffs, a maior produtora americana de pelotas de minério de ferro, a Reuters reportou agora há pouco.

A combinação é mais um capítulo do playbook de verticalização da Cleveland-Cliffs, que em dezembro passado anunciou a compra da AK Steel — seu segundo maior cliente — por US$ 3 bilhões incluindo dívidas.  A transação fechou em março deste ano.
 
No acordo que está sendo negociado, a ArcelorMittal — que compra 40% da produção de pelotas da Cleveland —aportaria na Cleveland-Cliffs ativos nos EUA que valem entre US$ 2 bilhões e US$ 3 bilhões, segundo a Reuters.  Os ativos incluem minas, plantas siderúrgicas e laminadoras.
 
O negócio seria transformador para a Cleveland-Cliffs, que tem um valor de mercado de apenas US$ 2,3 bilhões e uma dívida total de US$ 4,5 bilhões, e seria uma tacada de mestre do brasileiro Lourenço Gonçalves, que é chairman e CEO da companhia desde 2014.
 
Carioca do Engenho Novo, formado em engenharia metalúrgica pelo IME e com um mestrado pela UFMG, Lourenço está na indústria de mineração há mais de 30 anos e é um raro CEO que reúne formação técnica com capacidade de liderança.  

Ainda jovem, trabalhou para Benjamin Steinbruch na CSN, onde foi o principal executivo da área de siderurgia.  Em seguida foi CEO da California Steel, uma joint venture da Vale com a japonesa JFE (a antiga Kawasaki Steel). Nessa época, naturalizou-se americano.  

Lourenço entrou na Cleveland quando a empresa estava indo para o brejo.  A administração anterior tentou internacionalizar a companhia e comprou ativos no topo do ciclo.  A ação caiu de US$ 100 para US$ 15.  Foi quando Lourenço procurou a Casablanca Capital, uma gestora de private equity de Nova York que tinha uma participação na empresa, e propôs um plano de ‘turnaround’.
 
Dois anos atrás, Lourenço se desentendeu com um analista da Goldman durante uma teleconferência, rendendo um dos episódios mais divertidos da história das relações com investidores.
 
Como sempre acontece neste tipo de negócio, não há certeza de que as negociações com a Arcelor acabem em acordo, mas, em havendo um, ele poderá ser anunciado nos próximos dias, segundo a Reuters.
 
UPDATE: A transação foi confirmada pela Cleveland-Cliffs nesta segunda de manhã.
 
A mineradora está pagando um enterprise value de US$ 3,3 bilhões pelos ativos da ArcelorMittal, que estão sendo adquiridos sem caixa e sem dívida bancária.
 
O pagamento é dividido em US$ 505 milhões em caixa, US$ 373 milhões em preferred stock e 78,2 milhões de ações da Cleveland, o que dará à ArcelorMttal uma participação de 16% na empresa combinada.  A ArcelorMittal não terá representação no conselho.
 
A ação da Cleveland sobe 9% no pre-market em Nova York.
 
A apresentação da Cleveland-Cliffs sobre a transação está aqui.