Entrando em concorrência direta com a Avenue e o Inter, a XP vai passar a oferecer a clientes do varejo a possibilidade de investir diretamente no mercado americano: a partir de julho, eles terão acesso direto a ações, ETFs e ADRs listados na NYSE e na Nasdaq. 

O CEO Thiago Maffra disse que a ideia é criar um hub para mercados internacionais nos Estados Unidos, e a partir de 2023 buscar clientes também em outros países. “O acesso direto ao mercado americano é apenas uma sementinha da nossa expansão internacional,” disse Thiago. 

A XP vai selecionar os clientes aptos a investir no exterior e montar uma lista de espera a partir de maio.

A companhia não informou quantos de seus 3,5 milhões de clientes têm o perfil para investir diretamente no exterior, mas estimou o tamanho desse mercado entre R$ 50 bi e R$ 60 bi e disse que pretende alcançar a liderança em três anos; hoje sua principal concorrente é a Avenue, de Roberto Lee.  O Inter também começou a oferecer o serviço em janeiro.

A XP disse que uma pesquisa com os clientes mostrou que 77% dos que ainda não investem no exterior têm interesse em fazê-lo. Entre os que já investem, 91% disseram querer aumentar sua exposição.

A XP está negociando parcerias para oferecer análise e educação financeira aos clientes e também vai assessorá-los para a tomada de decisões, disse Lucas Rabechini, diretor de produtos financeiros da XP. 

Futuramente, a XP pretende oferecer outros tipos de ativos internacionais, como bonds e mutual funds.