A Sony, a dona do Playstation, está comprando a desenvolvedora de videogames Bungie, criadora das franquias Halo e Destiny, por US$ 3,6 bilhões.

O CEO da Bungie, Pete Parsons, disse que a empresa manterá a independência criativa e que os produtos desenvolvidos pela empresa continuarão a ser oferecidos em várias plataformas. 

A Bungie já havia aventado planos para expandir o jogo Destiny 2 em outras mídias além do videogame; agora, com o apoio da Sony, será muito mais fácil levar o Destiny para a televisão e cinema, por exemplo. 

A imprensa especializada também especulou que a manutenção dos produtos multiplataforma pode ser uma tentativa de pressionar a  Microsoft a fazer o mesmo com os principais títulos da Activision Blizzard no futuro. 

A aquisição da Bungie pela Sony vem semanas depois de a Microsoft comprar a Activision por US$  68,7 bilhões e da Take-Two Interactive – dona dos estúdios Rockstar Games e 2K Games –  pagar US$ 12,7 bilhões pela Zynga, que fez fama com jogos como FarmVille e Words With Friends.

As empresas de tecnologia estão cada vez mais interessadas em jogos à medida que procuram expandir seu público e se preparar para futuras versões de dispositivos de realidade virtual e aumentada. 

Essa não é a primeira vez que a Bungie se associa a outra companhia. A Microsoft comprou a Bungie no ano 2000, mas as duas empresas se separaram em 2007. A Microsoft continuou dona dos direitos da franquia Halo e o jogo mais recente – Halo Infinite – foi lançado no Xbox e Windows em 2021.

Em 2010, a Bungie fez um acordo de 10 anos com a Activision, que atuou como publisher do Destiny 1 e 2 até 2019, quando essa parceria também terminou e a Bungie assumiu a distribuição da série.