Guilherme Benchimol criticou os juros cobrados pelos ‘neobanks’ — no que foi amplamente interpetado como uma alusão ao Nubank.

“No mundo da pessoa física, quando se pensa em crédito e cartão, tem muitos ‘neobanks’ que se posicionam de uma maneira extraordinária, com um marketing espetacular,” disse o fundador da XP. “Mas não adianta ter um marketing espetacular e cobrar do cliente juros que não permitem que o cliente sobreviva a longo prazo.  Uma boa parte desses clientes hoje deixa uma parte importante da sua renda com os juros do cartão de crédito, que chegam a 14% e 15% ao mês.” 

Na oferta de novos produtos a esse cliente, ele disse que a XP se compromete a ter “preços competitivos”.

“Não seremos inovadores na imagem, mas inovadores na prática, trazendo produtos e serviços de qualidade a preços competitivos”, disse Benchimol.

Os comentários foram feitos na abertura da 11ª Expert, o evento anual da XP para clientes e agentes autônomos — e vem dias depois de Benchimol rebater nos mesmos termos um funcionário do Nubank no Linkedin.  

Benchimol também disse no evento que o mercado endereçável da XP vai passar de 15 milhões para 50 milhões de clientes “nos próximos anos”, na medida em que a empresa passa a oferecer produtos além do mundo de investimentos. 

Há cerca de um ano e meio, a XP começou a oferecer produtos como cartão de crédito, crédito e conta digital, e está tentando expandir sua penetração em crédito, seguros, banking e atendimento a empresas.