Um leilão de units do Inter esta manhã na B3 fez o mercado especular sobre um stop loss do “Monstro do Leblon”, o investidor que por meio de seu fundo Ponta Sul tem – ou tinha – 12% do banco digital. 

O leilão, chamado pela corretora do BTG, ofertava 20 milhões de units do banco, com o lote inteiro a R$ 21. Quando o leilão foi chamado, a ação do Inter caía 8,5%, cotada a R$ 22,24.

Durante o processo, o BTG aumentou o lote para 30 milhões de units, e também houve a interferência de outros vendedores. 

No final, na estimativa do mercado, o leilão movimentou cerca de R$ 830 milhões, com a venda de 33,8 milhões de units, cada uma a R$ 24,54. 

Os rumores sobre um stop loss do Monstro começaram ontem, por conta do aumento do volume negociado com as ações do banco, que atingiu R$ 415 milhões, o dobro do dia anterior. No pregão do dia 4, a ação do Inter caiu 13,6%, para R$ 24,30. 

No fechamento de segunda-feira, o PL do Ponta Sul era próximo a R$ 1,3 bilhão. O Inter é a maior posição do fundo, que opera alavancado, com operações a termo e um swap com o próprio BTG. 

Por conta disso, o mercado especula que o leilão de hoje pode ter acontecido para cobrir uma chamada de margem.