O Banco do Brasil e a Globo estão no mercado com bonds ESG, inaugurando as operações de empresas brasileiras no mercado externo em 2022.

As duas operações, que precificam hoje, buscam US$ 500 milhões cada, mas o valor final vai depender da demanda do mercado. 

O papel do do BB é um “social bond” com prazo de 7 anos e yield sugerido próximo a 5%. 

O banco vai usar os recursos para financiar ou refinanciar projetos sociais. 

Os coordenadores são UBS, Credit Agricole, Credit Suisse, Itaú BBA e Morgan Stanley. 

A Globo está com uma emissão de sustainability-linked notes de 10 anos e yield sugerido “ao redor de 6%”. Os recursos serão usados pela companhia para financiar um tender offer para bonds que vencem em 2025 e 2027. 

Na emissão, a companhia está se comprometendo a reduzir sua emissão de gases do efeito estufa em 15% até 2026. Se a meta não for alcançada, o cupom da dívida vai subir em 0,25%. 

Os coordenadores da emissão da Globo são Goldman Sachs, Itaú BBA, Morgan Stanley, BofA e Santander.