A Eletromidia está trocando seu CEO com uma promoção interna.

Alexandre Guerrero, hoje o chief sales officer, vai assumir o comando da companhia líder em mídia out of home substituindo Eduardo Alvarenga, que estava no cargo há pouco mais de dois anos. 

Alvarenga, que virou o CEO da Eletromidia quando a empresa comprou a Elemidia, vai assumir uma cadeira no conselho e liderar o recém-criado comitê de estratégia e inovação. 

A troca de guarda foi estruturada ao longo dos últimos cinco meses e é um movimento de continuidade, Alvarenga disse ao Brazil Journal. 

“O Guerrero tem uma penetração muito forte na indústria, uma visão clara de para onde vai o setor, e é uma pessoa de negócios,” disse ele. “Além disso, uma empresa de mídia precisa respirar comercial, então ter uma liderança que trabalhou a vida inteira nesse ambiente é a melhor decisão que você pode tomar.”

Guerrero está há mais de 16 anos na Eletromidia, onde entrou como sócio a convite das duas famílias fundadoras. Antes, trabalhou nove anos na subsidiária brasileira da TechMedia, uma multinacional americana de mídia out of home. Entrou lá com 21 anos, foi promovido a gerente comercial aos 23, e a diretor comercial dois anos depois. 

“Quando eu tinha 30, eu queria muito empreender e recebi o convite para liderar a expansão da Eletromidia me juntando como sócio,” ele disse ao Brazil Journal. 

No curto prazo, o novo CEO terá o desafio de integrar a Ótima – cuja aquisição foi aprovada recentemente pelo CADE – e monetizar as concessões que a empresa ganhou recentemente.

Guerrero planeja continuar crescendo o negócio core com M&As e concessões, e acelerar o crescimento orgânico nos segmentos de bike sharing (numa parceria com a Tembici) e edifícios comerciais e residenciais. 

Em concessões, o novo CEO diz que o pipeline para os próximos 6 a 12 meses está aquecido, com capitais como Salvador, Recife e Belo Horizonte planejando licitar seus mobiliários urbanos. 

Há ainda dois tubarões no aquário: os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont. 

Quando a privatização dos dois for concluída, a expectativa no mercado de OOH é que os dois aeroportos licitem seus painéis de publicidade para apenas um operador. Hoje é tudo pulverizado: diversos players – incluindo a Eletromidia – exploram áreas diferentes dentro dos dois aeroportos. 

Outro pilar importante será tecnologia. 

A Eletromidia está preparando para os próximos meses o lançamento de seu marketplace de venda de anúncios, que foi viabilizado com a compra da NoAlvo. 

A plataforma vai permitir que as agências e os anunciantes tenham visibilidade de todos os ativos da Eletromidia e acessem as métricas relacionadas a eles. Por exemplo, elas poderão ver quantas pessoas tipicamente passam na frente de um painel na Avenida Paulista e qual o perfil dessas pessoas.

“Isso vai sofisticar muito o modelo de venda de mídia OOH,” disse Guerrero. “As agências vão poder comprar mais com base no comportamento do que pela localização do ativo.”