Com a queda dos últimos meses, que dilapidou metade de seu valor de mercado, a Eletromidia virou uma “barganha,” na visão do Itaú BBA. 

O banco publicou hoje um relatório analisando as perspectivas para a empresa e o setor. 

Depois de uma pandemia que tem durado mais que o esperado, o banco diz que o setor de mídia ‘out of home’ deve se recuperar este ano, voltando aos níveis de crescimento pré-covid. 

“Muito provavelmente este deve ser um ano de normalização dos negócios para a Eletromidia,” escreveram os analistas Arturo Langa e Alejandro Chavira. “Também acreditamos que a companhia deve voltar a dar lucro.”

Para os analistas, a Eletromidia deve fazer um EBITDA de R$ 226 milhões este ano, incluindo a aquisição da Otima. Sem considerar a aquisição, a estimativa do Itaú é que a Eletromidia faça um EBITDA de R$ 116 milhões, um pouco abaixo de 2019, quando fez R$ 131 mi. 

O Itaú nota que a Eletromidia tem entregado as promessas que fez no IPO: a compra da Otima e da MOOHB, que consolidou sua liderança no setor; a nova concessão do Aeroporto de Congonhas; e os investimentos em empresas de tecnologia como a NoAlvo. 

A expectativa do banco é que a Eletromidia cresça 15% ao ano até 2025.

A cereja do bolo: os múltiplos a preço de banana. 

Nas contas do Itaú, a Eletromidia negocia a 8,8x o EBITDA estimado para este ano, em comparação à média de 15x dos principais peers globais. 

“Apesar de reconhecermos que há um sentimento negativo em relação ao Brasil e que a baixa liquidez também não ajuda no momentum, continuamos a enxergar uma discrepância significativa de valor no papel.”

Obviamente, há riscos para o case — e o principal deles é a ômicron, que tem impactado na retomada da atividade e do fluxo de pessoas nas ruas e transportes público (o principal ativo da Eletromidia).

Por outro lado, há também opcionalidades.

“A empresa tem um pipeline significativo de concessões públicas para projetos de mídia out of home que não estão precificados no nosso modelo. Qualquer notícia positiva nesse front é um upside direto na geração de lucro da empresa.”