A Votorantim iniciou um follow-on que poderá movimentar cerca de 11% do capital de sua controlada Companhia Brasileira de Alumínio (CBA).  

No preço de fechamento da ação da CBA na sexta-feira, a R$ 19,93, a oferta-base movimentaria R$ 677 milhões. A operação ainda prevê um hot issue de R$ 575 milhões – um acréscimo de 85% em relação à oferta base; e um greenshoe de 15% que pode movimentar R$100 milhões.  

Se todos os lotes forem vendidos, a oferta pode alcançar R$ 1,35 bilhão.  O market cap da CBA é de R$ 12 bilhões.

A oferta é 100% secundária e a precificação está marcada para quarta-feira. 

A Votorantim tem cerca de 76% do capital da CBA e disse que está fazendo a oferta por conta de sua estratégia de diversificação de portfólio e também para adequar o free float da CBA aos 25% mínimos exigidos pelo Novo Mercado – o percentual atual está em 24,13%. 

A CBA chegou à bolsa em julho de 2021, com as ações vendidas a R$ 11,20 – um desconto em relação à faixa indicativa de R$ 14-18. 

Desde então, o papel acumula valorização de 78% – a maior parte dessa alta aconteceu este ano, acompanhando a disparada dos preços das commodities. 

Os coordenadores do follow-on são BTG Pactual (líder), Bank of America, Bradesco BBI, UBS BB, Citi, Itaú BBA e JP Morgan.