Leonel Andrade vai deixar a presidência da Smiles no final deste ano — um golpe para a empresa cujo sucesso operacional e no mercado de capitais está intimamente ligado a ele.
 
A renúncia de Leonel, aceita hoje pelo conselho, vem no momento em que a Gol negocia a incorporação da Smiles, que deixaria de existir como empresa independente.
 
Ao longo dos últimos meses, Leonel se frustrou com a forma como a Gol conduziu o processo de incorporação, que sequer foi negociado com o conselho da Smiles antes de ser anunciado ao mercado.
 
“Depois do que aconteceu, ele só estava ficando porque foi ele que trouxe muita gente para a base de acionistas, foi o prestígio e a execução dele que fizeram boa parte da companhia,” diz um investidor comprado na ação.
 
A Smiles disse que Leonel será substituído por André Fehlauer, seu atual diretor-geral de operações na Argentina.
 
SAIBA MAIS