A Yduqs acaba de adquirir a Hardwork numa transação que posiciona a dona da Estácio e do IBMEC no mercado de cursos preparatórios para a residência médica — um nicho que pode dobrar de tamanho nos próximos cinco anos.

A Yduqs está comprando 51% da startup por meio de um investimento secundário e primário. O CEO Eduardo Parente pagou R$ 32 milhões por uma fatia dos fundadores e depois injetou outros R$ 20 milhões no caixa da empresa. 

O valuation post-money foi de R$ 102 milhões. 

A Hardwork nasceu há três anos da cabeça de Fabrício Valois e Fábio Colagrossi, dois médicos que haviam passado os dez anos anteriores trabalhando como professores da MedCel, a vertical de preparação para a residência da Afya.

Os dois largaram o emprego e decidiram fundar seu próprio negócio. A Hardwork cresceu basicamente com o ‘trabalho duro’ dos dois: até o final do ano passado, eles tinham apenas um funcionário para ajudar no dia a dia — além dos professores e programadores terceirizados. 

“Era a gente que criava os cursos, que mandava e respondia emails, que cadastrava os novos alunos, que fazia tudo…” Fabricio disse ao Brazil Journal. 

O sangue, suor e lágrimas dos dois deram resultado. Ano passado, a Hardwork faturou R$ 23 milhões — 8x mais que no ano anterior — com a venda de 12 mil cursos para 7 mil alunos diferentes. 

Com o aporte da Yduqs, a Hardwork vai profissionalizar o negócio. Fabricio continuará como CEO da empresa, mas ela vai contratar um CFO, um head of growth e um CTO, além de aumentar a equipe e investir em novos produtos.

Para a Yduqs, a compra da Hardwork vai complementar sua vertical de medicina, a Idomed. A Yduqs já tem diversas faculdades de graduação, mas sentiu a necessidade de “trabalhar mais na jornada do médico como um todo,” disse a vice-presidente de operações premium da Yduqs, Marina Fontoura. 

Nessa frente, a Yduqs já tinha uma pequena operação de cursos para preparação de residência — a STJMed — que veio junto com a compra da Adtalem.

“Mas era uma operação de cursos offline e que veio meio defasada, por isso tomamos a decisão de não investir mais nela,” disse Marina. “Com a compra da Hardwork, vamos absorver alguns elementos dessa operação, mas ela vai basicamente ser descontinuada.”

A transação traz algumas sinergias óbvias. A principal delas: as faculdades de graduação de medicina da Yduqs vão poder começar a oferecer os cursos de preparação para a residência da Hardwork para seus alunos que estejam próximos de se formar. 

A aquisição também posiciona a Yduqs num segmento que está surfando uma tendência extremamente positiva. 

“O número de vagas de medicina tem aumentado muito nos últimos anos, mas a expansão das residências não tem acontecido na mesma velocidade,” disse a executiva. “Isso faz com as vagas fiquem mais competitivas, e que os alunos procurem mais por cursos preparatórios.” 

A estimativa no mercado é que esse segmento dobre de tamanho nos próximos cinco anos.