A situação da Stone nos mercados continua a chamar a atenção. 

Apesar da recuperação em diversos ativos brasileiros este ano, a ação da adquirente está cravando novas mínimas na Nasdaq.  Hoje, o papel caiu 5,2% e fechou a US$ 12,32. A mínima anterior havia sido registrada anteontem: US$ 12,45.

No ano, a ação cai 26,5% enquanto o S&P perde 6,95%.

O volume negociado está 30% abaixo da média de 20 dias, e a volatilidade implícita em três meses é de 94%

No lado da dívida, a situação parece mais tranquila. A Stone tem um bond de US$ 500 milhões no mercado com vencimento em 2028 que hoje negocia a US$ 82,25, um yield to maturity de 7,5%. Quando foi emitido em junho de 2021, o yield era de 3,95% – mas a abertura de taxa parece em linha com o aumento de spreads para nomes de emerging markets.

A ação da Stone vem perdendo valor desde a divulgação dos resultados do segundo trimestre de 2021, quando a empresa revelou que perdeu dinheiro com o crédito. O resultado do 3TRI21 não mostrou reação do negócio, muito afetado pelas despesas financeiras.  Ano passado, a empresa perdeu 80% de seu valor de mercado. 

A Stone deve divulgar o balanço de 2021 no início de março, mas ainda não há data marcada.