A Ultrapar, dona dos postos Ipiranga, concordou em comprar 100% da AleSat Combustíveis por 2,17 bilhões de reais.

O valor inclui a dívida líquida da AleSat, que era de 737 milhões de reais em dezembro. 

O preço pago, incluindo a dívida, equivale a 7,9 vezes a geração de caixa (EBITDA) da AleSat, que foi de 275 milhões de reais em 2015, e é inferior ao múltiplo que os investidores pagam pela própria Ultrapar na Bovespa, de 10 vezes EBITDA, sugerindo que a compra foi ‘barata’ para os acionistas da Ultrapar.  

Além disso, se conseguir fazer as margens da AleSat convergirem para as suas, a Ultrapar terá ganhos de margem significativos à frente.

A AleSat é a quarta maior distribuidora de combustíveis do Brasil, depois da BR Distribuidora, a Ultrapar e a Raízen, a joint venture entre a Cosan e a Shell.  A empresa, comandada pelo CEO Marcelo Alecrim, é fruto da união da ALE Combustíveis com a Satélite Distribuidora de Petróleo.

A rede da AleSat conta 2 mil postos e 260 lojas de conveniência, além de 10 bases logísticas. Sua presença significativa no Nordeste complementa geograficamente a rede da Ipiranga, mais forte no Sul e Sudeste do País. A AleSat faturou 11,4 bilhões de reais ano passado.

A Ipiranga possui uma rede de 7.241 postos, incluindo uma das operações de varejo mais azeitadas do País: 1.919 lojas am/pm.

Parte do valor da compra será mantido em uma conta-garantia para cobrir eventuais contingências, como é comum em transações deste tipo. 

A conclusão da operação está sujeita à aprovação prévia do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e da assembleia geral de acionistas da Ultrapar.