Preocupado com a escassez global de recursos?

Esse relatório vai te deixar desesperado – mas vai te ajudar a tentar ganhar algum enquanto espera o mundo acabar.

O Bank of America publicou hoje 50 ações que considera ‘top picks’ quando o assunto é a escassez de recursos – sejam naturais, econômicos, humanos ou até de tempo. 

Na lista do banco, há três empresas brasileiras: Sabesp, Sigma Lithium (listada no Canadá) e Ambipar.  

Intitulado “O mundo não é suficiente”, o relatório diz, basicamente, que estamos ficando “sem… tudo!”

“Precisaremos de 2x os recursos da Terra para dar conta da taxa atual de uso até 2030. Hoje menos de 1% da água do planeta é própria para consumo humano, e podemos ficar sem

fresh water até 2040,” escrevem os analistas. “Além disso, poderá haver déficit de metais importantes como lítio e níquel em 2024, e poderemos atingir o pico de fósforo em 2030, o que vai agravar a escassez de alimentos.”

Os analistas dizem que não são apenas os recursos naturais que estão potencialmente esgotando – o mundo também enfrenta escassez de capital humano e tecnologia. 

“Já atingimos o pico da juventude, com o número de avós superando o de netos no mundo todo. As taxas de natalidade nos EUA e na China são as mais baixas já registradas, exacerbadas por um envelhecimento da população que intensifica a escassez de saúde,” diz o banco. 

Apesar de as pessoas passarem cerca de oito anos de suas vidas “estando doentes,” apenas 3% dos gastos globais com saúde são destinados à prevenção de doenças, dizem os analistas.

Além disso, a escassez de habilidades “nos custa mais do que o PIB da Alemanha e do Japão juntos,” e precisaremos “alimentar 1 trilhão de dispositivos conectados até 2035, mas enfrentamos um problema estrutural de escassez de semi-chips.”

A escassez não para nos recursos tangíveis. 

“Em 2025, vamos interagir com um dispositivo conectado a cada 18 segundos e, em 2030, passaremos mais tempo no Metaverso do que no mundo real. Temos tempo suficiente?”.

Para os analistas, o atual desequilíbrio global entre oferta e demanda de recursos é sustentado por uma escassez estrutural e só vai piorar. 

Enquanto a população global cresceu mais de 2x na segunda metade do século XX, a produção de grãos alimentícios cresceu 3x, o consumo de energia aumentou 4x e a atividade econômica cresceu 5x. Para os analistas, é justo supor que continuaremos vivendo num ritmo superior aos nossos meios. 

Como resultado, um mundo em transformação precisa de soluções transformadoras – não apenas crescer, minerar ou produzir mais. 

O BofA fala em US$ 8 trilhões em oportunidade de investimento com soluções em ‘tecnologia de escassez’, que envolvem economia circular, reciclagem, sustentabilidade, capital natural, biodiversidade e ar limpo, edtech, água, infraestrutura, healthtech, bem-estar, benefícios de fertilidade, semicondutores, bens de capital entre outros que podem resolver esse problema estrutural.

As outras top picks são: 

Veolia

Essential Utilities

Beijing Entreprise Water

Guangdong Investment (água)

SCA

Segezha

Weyerhaeuser

Daikin

Carrier

Atlantic Sapphire (biodiversidade e ar)

MP Materials

Lynas

Ganfeng (metais)

PhosAgro

Mosaic, que tem operações no Brasil

Zoeis

Elanco (agro)

Waste Connections

Cleanaway

Befesa

Origin Materials

Sims (lixo e reciclagem)

ASLM

KLA

GlobalFoundries

TSMC

GlobalWafers

Shin Etsu Chemical

SUMCO (energia)

AMN Healthcare

SMS

Teladoc

Thome

Life Time

Xponential

Fitness (saúde e bem-estar)

Udemy

Duolingo

APM Human Services

Chegg

PowerSchool (educação)

Jinxin (youth)

Apple

Microsoft

Disney

Meta

Sony (tecnologia)