Os analistas do Morgan Stanley rebaixaram a recomendação para as Lojas Renner de “equal-weight” para “underweight”, citando a presença cada vez maior de empresas do ecommerce asiático no Brasil.

“Nossas pesquisas mostram o crescimento da Shopee e da Shein no varejo de moda online. Conforme a competição aumenta, cresce a preocupação com os custos do crescimento da Renner em seu braço digital,” escreveu o time de analistas. 

O preço-alvo foi reduzido em 19% para R$ 30, com upside de 6%.

Tanto a chinesa Shein quando a Shopee, de Singapura, vendem roupas a preços baixos e vêm crescendo em participação no mercado brasilero nos últimos meses. 

Os analistas destacaram que, numa conferência recente do banc, que reuniu a empresa e investidores, a Renner disse que está investindo na construção de um ecossistema de moda e estilo de vida e que prevê o pico de seus investimentos em digitalização daqui a 12 a 18 meses.  

Nesse cenário, os analistas estão cautelosos em relação às margens da Renner, citando também a pressão de preço nas matérias-primas.

Segundo eles, o EBITDA da Renner no 3T21 ficou 22% abaixo dos níveis do 3T19, apesar da alta nas vendas. 

O Morgan Stanley projeta margem EBITDA ajustada de 18,4% para a Renner em 2022, abaixo dos 23,1% registrados pela empresa em 2019.