André Laport, o ex-sócio da Goldman Sachs que comandava a mesa de equities do banco na América Latina, está voltando ao mercado com uma nova gestora. 

Seu sócio será James Oliveira, que por muitos anos comandou a tesouraria do BTG e, mais tarde, a área de gestão de recursos do banco.  

A nova casa — batizada de Vinland Capital — terá uma grade de produtos similar a das principais gestoras de recursos alternativos:  um fundo multimercado, um fundo de ações ‘long bias’ e um ‘long only’. Um veículo offshore replicará as estratégias.

Fontes da Faria Lima dizem que a Vinland já levantou algo entre R$ 7 bilhões e R$ 10 bilhões em ‘seed capital’ de ‘fund of funds’ internacionais e grandes distribuidores locais, incluindo o Credit Suisse, Itaú e XP. Segundo essas fontes, os fundos já podem nascer fechados.

Vinland é o nome do lugar em que se estabeleceram os vikings que exploraram a América ao redor do ano 1000 — antes do descobrimento por Colombo. 

A escolha de um nome que remete às dificuldades da vida de explorador talvez seja adequada para uma casa que, pelo perfil dos sócios, tende a se beneficiar se a volatilidade crescer.

Laport, que tem 49 anos e é trader há 27, deixou a Goldman em outubro de 2016; James saiu do BTG no final do mesmo ano.

Um trader especializado em equities que passou boa parte de sua vida profissional nos EUA, Laport construiu mais conexões no exterior do que no próprio mercado brasileiro, o que dá à Vinland vantagem no ‘fundraising’ com endowments, fundos soberanos e outros investidores internacionais, segundo pessoas próximas à nova gestora.

Antes da Goldman — onde passou oito anos e se tornou sócio em 2009 — Laport comandou a mesa proprietária do Fortis, então um banco holandês, em Nova York, Londres e Amsterdã. 

A Vinland ainda está montando o time; os sócios já escalados têm cerca de 20 anos de mercado cada. 

Igor Mansour (ex-Goldman e Morgan Stanley) será o trader de Real; Pedro Ribeiro (ex-JP Morgan e Kondor), responsável pelo trading de moedas internacionais. A estratégia de equities ficará com Luis Claudio Vasconcellos, ex-sócio da SDA. O COO da Vinland será Ricardo Garcia, um veterano do Credit Suisse Hedging-Griffo que ajudou a montar a estrutura de diversos fundos distribuídos pelo CSHG.

Paulo Castilho — outro ex-Goldman que comandou a operação de prime brokerage do banco, a área de interface com clientes institucionais, particularmente hedge funds — ficará encarregado das relações com investidores.