Carl Icahn disse ontem à noite na CNBC que os Estados Unidos podem “muito bem entrar numa recessão ou algo pior.” 

“Eu tenho deixado tudo com hedge nos últimos anos. Temos um hedge bem forte nas posições compradas e tentamos ser ativistas para ter alguma vantagem sobre o mercado,” disse o fundador da Icahn Enterprises. “Estou negativo, como você pode ver… O curto prazo eu nem tento prever.”

Para se posicionar para uma possível recessão, Icahn disse que está short principalmente em shoppings e empresas de imóveis comerciais. 

Icahn disse que a alta da inflação é uma grande ameaça para a economia e que a guerra de Putin apenas adicionou mais incerteza ao cenário.   

Há uma semana, o Federal Reserve subiu os juros pela primeira vez em mais de três anos na tentativa de combater a inflação – hoje no nível mais alto em 40 anos. 

Para piorar, o chairman do Fed, Jerome Powell, disse essa semana que “ações mais duras” podem ser tomadas para controlar os preços, indicando que o banco central americano está aberto a aumentar os juros num ritmo maior que o tradicional 0,25 ponto. 

“Eu realmente não acho que eles [o Fed] vão conseguir arquitetar uma aterrissagem suave,” disse Icahn. “Acho que vai ser uma aterrissagem difícil… a inflação é uma coisa terrível quando ela começa a subir. Você não consegue colocar o gênio de volta na garrafa tão facilmente. Vimos isso nos anos 70, vimos o que aconteceu.”

Icahn também disse que o sistema de conselhos das companhias listadas precisa ser corrigido, e que “diretorias fracas podem levar a desastres.”

“Não existe responsabilidade na América Corporativa. Você tem algumas companhias muito boas, alguns CEOs muito bons, mas há uma quantidade muito maior que não está à altura da tarefa que acho que vai ser necessária” num cenário de recessão.