O BTG Pactual elevou sua recomendação para a Multiplan de ‘neutra’ para ‘compra’  depois que os resultados da empresa no quarto trimestre mostraram uma recuperação das vendas e das receitas com locação. 

A Multiplan tem um portfólio de shoppings premium, com ativos dominantes em suas regiões e voltados à alta renda – e isso “está garantindo um cenário positivo para a empresa, mesmo com o ambiente macro mais difícil,” escreveram os analistas Gustavo Cambauva, Elvis Credendio e Bruno Tomazetto. 

O BTG tem preço-alvo de R$ 30 para a ação, um upside de 38% em relação ao preço de tela. Na manhã de hoje, o papel está em alta de 2,5% para R$ 21,80. 

A Multiplan reportou um aumento de 41% na receita de aluguel nas ‘mesmas lojas’ em relação ao quarto trimestre de 2019, o último antes da pandemia. 

Na mesma comparação, as receitas da empresa com locação subiram 29%, para R$ 442 milhões, e as vendas ‘mesmas lojas’  cresceram 10%. 

As receitas com estacionamentos foram de R$ 63 milhões, uma alta de 43,8% em relação ao quatro trimestre de 2020, e estáveis em relação ao quarto tri de 2019. 

Segundo o BTG, a Multiplan disse que a recuperação das receitas continua no primeiro trimestre, com os números de janeiro e fevereiro apresentando um ritmo mais forte do que no quarto tri de 2021. 

Por conta da recuperação mais forte do que o esperado do portfólio, os analistas do BTG elevaram as estimativas para o fluxo de caixa das operações (FFO) em 1% para 2023 e em 3% para 2024.  Para eles, o crescimento do EBITDA será parcialmente afetado pelo aumento das despesas por conta da alta dos juros. 

Para os analistas, a Multiplan está num “lovely valuation”, negociando a um cap rate de 10% e a 12,5x o FFO estimado para 2023. 

O valuation também implica um desconto de 10% em relação a seus patamares históricos.