O BTG continuou postando recordes de receita, lucro e net new money — o dinheiro captado pelas plataformas do banco — num trimestre que deve impressionar pela recorrência de resultados.

Apesar das condições traiçoeiras do mercado, a receita cresceu 55% — mas o lucro avançou ainda mais rápido: 81%.

“Estamos num ponto em que o crescimento já vem com rentabilidade adicional forte,” o CFO João Dantas disse ao Brazil Journal. “Tem muita gente crescendo, mas até chegar nesse ponto em que estamos o caminho é cheio de obstáculos.”

A receita total foi de R$ 3,8 bilhões, 2% de alta em relação ao segundo tri e 55% na comparação anual. O lucro líquido ajustado de R$ 1,8 bilhão subiu 77% na comparação anual e 4,4% em relação ao 2Q21. 

O net new money de R$ 88 bilhões foi a segunda melhor captação líquida da história do banco, inferior apenas aos R$ 98 bilhões do segundo trimestre, um resultado que incluía R$ 12 bilhões da Necton, adquirida em abril. 

O estoque de recursos de terceiros no BTG agora é de R$ 942 bilhões, um crescimento de 71% em relação ao mesmo tri do ano passado. 

A área de investment banking também repetiu o recorde em receita: +81% na comparação anual, para R$ 727 milhões. Segundo o banco, o resultado coloca o BTG na liderança em todos os rankings da indústria: M&A, ECM e, pela primeira na história, em DCM local e internacional. 

A carteira de crédito corporativo e PME do banco atingiu R$ 97,6 bilhões — alta de 43% na comparação anual e 13% em relação ao trimestre anterior. (Em relação ao segundo trimestre, o crescimento é basicamente referente ao corporate, já que a parcela do portfólio dedicado a PMEs, de R$ 14,2 bilhões ou 15% do total, ficou estável de um trimestre para outro, por conta dos atrasos na câmara de recebíveis de cartões de crédito )
 
No sales & trading, as receitas foram de R$ 1,3 bilhão, após ganhos com a venda da CredPago. O crescimento foi de 46% na comparação anual e de 4% em relação ao trimestre anterior. 
 
O BTG também divulgou o quarto recorde consecutivo  na  captação no asset management: R$ 50 bilhões no 3Q21 (e R$ 162,8 bilhões nos últimos 12 meses).
 
O retorno sobre o patrimônio líquido ajustado foi de 20,1% no terceiro trimestre, com o índice de cobertura de liquidez em  213,5% e a Basileia em 16,1%. 

Na B3, o banco fechou ontem com um valor de mercado de R$ 92 bilhões.  O resultado de hoje implica que a ação negocia a um preço-lucro de 13x para 2022, pelo consenso de mercado, e a 2,6x seu valor patrimonial.