Num raro M&A entre as (poucas) empresas de tecnologia listadas na Bovespa, a Totvs vai incorporar a Bematech, mais conhecida pela fabricação de impressoras fiscais e outros equipamentos de automação para o varejo, numa operação de 550 milhões de reais.

Os acionistas da Bematech receberão 11 reais por ação — 9,35 reais em dinheiro e mais 0,043 ação da Totvs por cada por ação da Bematech.

O valor ofertado é um prêmio substancial sobre o preço de fechamento da Bematech no pregão de sexta (6,81 reais) e um ágio de 40% sobre a média da ação nos últimos 20 dias.

A Bematech, uma empresa que tentou avançar em software mas sempre foi mais forte no hardware, está presente em 500 mil pontos de venda em todo o Brasil, e é particularmente forte no varejo de comida (foodservices) e hospitalidade.

A compra agrega um conhecimento sobre o setor de varejo que não havia dentro da Totvs, uma empresa que começou com um sofware de ‘back office’ e foi acrescentando produtos para clientes em diversos sub-setores da economia.

No mercado, a transação também foi vista como um movimento defensivo da Totvs para evitar o avanço da Linx, uma empresa de software especializada em varejo que consolidaria sua posição no setor se adquirisse a Bematech.

“Num mundo que é cada vez mais digital e no qual temos que aproveitar a informação, essa transação vai nos fazer ganhar ainda mais conhecimento e inovação de varejo,” o fundador e CEO da Totvs, Laércio Cosentino, disse à coluna na sexta à noite. “Hoje quando você vai vender solução para um hotel, não é mais só vender software, você tem que vender o software e o hardware.”

Esta é apenas a mais recente na longa série de aquisições que transformou a Totvs na líder em software de gestão no Brasil, atendendo clientes em 10 setores, do varejo à indústria, da saúde à educação.

Entre 2004 e 2008, a Totvs fez aquisições para dominar o mercado de software de gestão (ERP) com foco em pequenas e médias empresas (PMEs), um mercado muito maior do que o mercado das 500 maiores empresas, onde a briga sangrenta entre as gigantes SAP e Oracle comprime as margens para cerca de 50% das praticadas no mercado de PMEs. Datam dessa época as compras da Logocenter, Datasul e RM Sistemas.

Em uma segunda fase, que foi mais ou menos até 2013, a Totvs comprou empresas para penetrar setores onde ainda não estava, como o mercado jurídico e de educação, e investiu pesado em pacotes de software não-customizados, com o objetivo de fidelizar microempresas que mais tarde se tornariam clientes de seus produtos customizados.

Agora, numa terceira fase, a Totvs tenta consolidar sua presença nos 10 setores em que atua, e a Bematech entrega o varejo.

Marcel Malczewski e Wolney Betiol, dois engenheiros eletrônicos que fundaram a Bematech em 1990, com pouco mais de 20 anos de idade, ainda são os maiores acionistas da empresa, com cerca de 18% do capital da companhia.

Nas estimativas do JP Morgan, a Totvs pagou 11,7 vezes o lucro estimado da Bematech para 2016, enquanto a Totvs negocia a 16,3 vezes seu lucro estimado para aquele ano. No múltiplo EV/EBITDA (que compara o valor da empresa com sua geração de caixa), a transação parece mais barata ainda, com a Totvs pagando 5,4 vezes EV/EBITDA enquanto negocia ela mesma a 10,8 vezes.