Marcopolo quase zera dívida com venda da New Flyer

Foi o equivalente a quebrar o porquinho depois de anos de poupança.

A Marcopolo disse que vendeu hoje 7,4% do capital da fabricante de ônibus canadense New Flyer Industries por R$ 446,5 milhões, recursos que virtualmente zeram sua alavancagem.

A transação foi feita por meio de um block trade na bolsa canadense. Pelo valor levantado pela Marcopolo, cada ação teria sido vendida a um preço implícito de C$ 40,40 (dólares canadenses), quase 4 vezes os C$ 10,50 pagos pela Marcopolo em 2013.

O bom desempenho das ações da canadense era um às na manga da Marcopolo para reduzir seu endividamento, como discutimos aqui no mês passado.

Nas contas de um gestor, a empresa tem hoje uma dívida líquida de pouco mais de R$ 500 milhões, já incluindo os R$ 275 milhões herdados na compra da concorrente Neobus em agosto.

Com a Neobus, a relação entre dívida líquida e geração de caixa da Marcopolo saltou de 2x para 3,7x.

Depois da venda, a Marcopolo ainda segue como a maior acionista da New Flyer com 10,8% do capital, percentual que a empresa diz pretender manter. A participação remanescente corresponde a 24% no valor de mercado da Marcopolo, que fechou o dia valendo R$ 2,68 bilhões.