Drogarias: O plano da Nissei para crescer 50%

A Drogarias Nissei, a oitava maior do Brasil em faturamento e a sétima em número de lojas, está tomando R$ 150 milhões em dívida de seis anos com o Farallon Capital, o fundo de investimentos de São Francisco que tem se especializado em operações estruturadas no Brasil.

O financiamento permitirá à Nissei tirar do seu balanço dívidas mais curtas e mais caras, ao mesmo tempo em que evita sacrificar seu equity antes de executar um ciclo de investimento robusto nos próximos quatro anos.

A dívida com o Farallon é um financiamento mezanino, um instrumento flexível que dá ao credor a opção de converter a dívida em equity no vencimento, e à empresa a opção de pré-pagar o empréstimo.

Além da gestão do passivo, a Nissei usará boa parte dos recursos para aumentar sua rede de lojas em 50% até 2021.

Depois de chegar ao final deste ano com 250 lojas no Paraná, São Paulo e Santa Catarina, a Nissei planeja abrir outras 120 nos próximos quatro anos, reforçando sua presença nestes Estados.

A companhia deve faturar quase R$ 1,3 bilhão este ano, e atende todas as lojas a partir de um CD em Colombo, uma cidade-satélite de Curitiba.

No ano passado, a companhia começou a implementar o 'Plano Nissei 2021’, que incluiu a revitalização da logomarca e a criação de um novo layout para as lojas. A Nissei já implementou o novo layout em cerca de 40 lojas, e usará o novo caixa para remodelar todas.

Diferentemente da Raia Drogasil, por exemplo, a Nissei vende itens de conveniência — pão de forma, Coca-Cola, sorvete — em todas as suas lojas, assemelhando-se a redes americanas como CVS e Walgreens. (O negócio de conveniência tem margens melhores que o de farmácia).

“O Plano Nissei 2021 está estruturado em tecnologia da informação, gestão de pessoas e processos, parque logístico, inteligência de mercado e parceria com fornecedores, entre outros fatores, tudo para dar sustentabilidade para a operação das nossas lojas,” disse o CFO da Nissei, André Lissner. "Queremos aproveitar esse momento de retomada da economia para acelerar esse processo e antecipar os resultados.”

Uma das marcas mais conhecidas do Paraná e parte da paisagem de Curitiba, a Nissei foi fundada há 31 anos por Sérgio Maeoka, um filho de agricultores que começou entregando remédios aos 14 anos e mais tarde transformou uma loja de 40 metros quadrados numa das maiores drogarias do País. No início, trabalhava na sua única farmácia de dia e na pastelaria da família à noite (a renda dos pastéis ajudava a manter a farmácia, ainda deficitária). Maeoka tem 57 anos e é o controlador e CEO da companhia.

Entre 2014 e 2016, o faturamento da Nissei estagnou graças à entrada de concorrentes em seu mercado: Raia Drogasil, Panvel e Pacheco começaram a abrir lojas no Paraná, causando uma guerrilha de preços. No final do ano passado, essa dinâmica arrefeceu: a companhia expandiu margem e o faturamento voltou a crescer.