Adiós, Cristina!

Com 40% dos votos apurados, o Macrismo derrota o Peronismo

Os resultados ainda são parciais, mas as eleições legislativas na Argentina estão indo a favor do Presidente Mauricio Macri.

Segundo o Clarín, com 40% dos votos apurados na noite deste domingo, a ex-presidente Cristina Fernandez de Kirchner estava perdendo a eleição para senadora pela Província de Buenos Aires, a maior do País. Cristina tinha 35,8% dos votos, contra 42,9% para o candidato de Macri, o ex-ministro da Educação, Esteban Bullrich.

A provável derrota de Cristina deve alimentar a esperança de um enfraquecimento da esquerda — e de teses econômicas irracionais — na América Latina no momento em que o Brasil se prepara para as eleições de 2018.

Os argentinos estão elegendo 127 dos 257 deputados que compõem a Câmara, e 24 dos 72 senadores. A eleição é um termômetro do apoio da população ao Governo quase dois anos depois de Macri ter tomado posse em 10 de dezembro de 2015.

As pesquisas indicam que o Cambiemos, a coalizão que apoia Macri, deve ganhar pelo menos 19 cadeiras na Câmara, aumentando sua bancada para 105 deputados.

Ainda segundo o Clarín, na cidade de Buenos Aires, com quase 90% da apuração concluída, a candidata governista à Câmara dos Deputados, Elisa Carrió, liderava com 50,30%, enquanto seu adversário imediato Daniel Filmus, ligado à ex-presidente, tinha 22%.

Na Terra do Fogo, a província mais meridional do País (e mais longe da capital) — e na qual o Peronismo histórico disputa espaço com o Kirchnerismo e o Cambiemos — as três forças políticas estavam "cabeça a cabeça”, disse o Clarín.